Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

É bacalhau, ou As vacas estão magras

Não, não é um artigo sobre o Vasco da Gama...
Vocês sabem, bacalhau não é um prato que se decida na hora. É preciso deixar de molho na véspera, escaldar no dia seguinte, etc... Hoje estou comendo a maravilha e consumi toda uma garrafa do impecável chardonnay Casa Perini.

Mas já houve uma época em que detestei bacalhau.
Março de 1959. Atrasei-me para a apresentação no Campo dos Afonsos, praticamente todos já haviam tomado o café. Lá em casa era café preto, pão e manteiga. Então o suco de laranja, os ovos estrelados e o café com leite me davam a sensação de estar subindo vários degraus, pelo menos na escala gastronômica.

Os dias se sucediam. Café, almoço e jantar. Detestei o dia em que, após o almoço, me deram um trote que consistia em comer todo o doce de figo em calda que sobrara na mesa. Até hoje detesto figo. Mais prazeroso foi, num outro dia, ser obrigado a comer mil-folhas e rebater com suco de laranja. Tinham pouca imaginação aqueles veteranos.

Eu não falei, mas eu era um calouro na gloriosa Escola de Aeronáutica, buscando um brevê de aviador na Força Aérea Brasileira. Infelizmente consegui apenas um meio brevê. Mas isso é outra história.

Chegamos ao ponto, o ponto central da narrativa, o jantar dos cadetes e alunos da Escola. Não sei que deu naquela gente mas em determinada ocasião deram para repetir o menu que era, nada mais nada menos que... bacalhau. Bacalhau com agrião? Sei lá! Sei que estava me embrulhando o estômago. Quando cheguei a casa no fim de semana mamãe me esperava com um, argh!, bacalhau. Reclamei.

Epílogo. Atualmente muitas unidades das Forças Armadas trabalham em meio expediente. A turma almoça em casa, não há verba para o rango. Não direi que estão armados de estilingue porque aí já seria demais.

Quando fui um soldado da pátria era um rei e não sabia. Os convocados para o serviço militar de hoje em dia, dizer que são apenas mendigos privilegiados é muito forte, não?

1 comments:

23 de fevereiro de 2012 23:43 Adao Braga disse...

A degradação está visivel, não apenas se comparando tantas décadas passadas.

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário