Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

Cavalos de aço ou bondes puxados a burro?

Sapucaia, RJ, um cartão postal para o trem bala

Teixeira Leite, antiga Concórdia. Vergonha alheia para o trem bala

O que já foi progresso, hoje é peça de museu, nem valor romântico tem mais. As antigas crônicas asseveram que Nilópolis já foi uma localidade progressista, já teve bondes puxados a burro. Já teve também livrarias onde, na minha infância, eu alimentava meu imaginário. Comprava livretos do Pedro Malasartes e outras historietas de que nem mais me lembro. Atualmente, livros em Nilópolis, só os didáticos. De repente me dá uma louca e eu monto uma livraria, com um espaço para exposição de arte, quem sabe, um Cyber Café?

Sou um grande cliente do Google Earth. Faço viagens homéricas. Vejo fotos e me fascinam aquelas antigas, abandonadas estações ferroviárias pelo Brasil inteiro. Pessoalmente já testemunhei alguns desses abandonos. Já fotografei a grande ponte metálica na localidade Vera Cruz, em Miguel Pereira, montada sob a supervisão do engenheiro Paulo de Frontin. O cavalo de aço não passa mais por lá. Tudo acabou.

Eu me transporto ao passado e me imagino integrado ao progresso das diversas localidades servidas pelo trem "Maria Fumaça", as estações repletas de passageiros vestidos nas suas melhores roupas, a alegria da partida, a alegria da chegada. Tudo acabou.

Durante todo um ano letivo estive em Barbacena, Minas Gerais. O trem era o transporte oficial. Os alunos da Escola foram inclusive de trem até Belo Horizonte para o desfile de 7 de setembro em 1958. Tudo acabou.

Nem tudo está perdido, o trem bala vem aí. As estações abandonadas, algumas delas estão em bom estado. Não farão vergonha ao cavalo de aço do futuro. 

As crônicas sobre Nilópolis também revelam que em um dos dois rios (agora valões fétidos) que delimitam o município havia um pequeno cais para embarcações. Mas esse é assunto para outro post. Comecei a pesquisar e fui longe demais, ficarei apenas nos trens. 

Quero deixar consignado, nos anais deste blog, com uma certa indignação, que desprezamos a cultura dos países de primeiro mundo, como se primeiro mundo fôssemos e eles, o terceiro. Ferrovias, navegação fluvial não são para nós, são para civilizações atrasadas. 

O Brasil é um cartão postal de "antigas estações ferroviárias". Aboliram esse "atraso" quase que de norte a sul do país. Trem, apenas os de carga; em muitos lugares nem isso.

Parece, no entanto, que o bichinho da corrupção mordeu o pessoal e já estão falando no trem bala. Não aposto um centavo nesse projeto, pelo menos não no eixo Rio-São Paulo.

Eu vou ficando por aqui. Querer se estender no assunto renderia um livro, que trataria, inclusive, da safadeza dos governantes... homens e... mulheres.

PS: Se meu projeto andar, no Cyber Café haverá um grande mural com fotos e histórias sobre o maltratado transporte ferroviário no Brasil.

1 comments:

18 de maio de 2011 17:33 José Antônio Fontes Galvão disse...

Quero que alguem que se diz brasileiro e explorou vóto da população para se eleger se interésse em restaurar as estações ferroviarias antigas mantendo sua originalidade,pois o brasileiro só pensa em fazer o novo para mostrar serviço mas não conserva as antiguidades para mostrar o serviço dedicado dos que o antecederam e que com muito esforço fizeram o alicérce para o que se diz agóra,se bem como "futuro

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário