Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

A origem do @ e do &

Diz-se que quem conta um conto aumenta um ponto. Pena é quando diminuem, e omitem o autor da algaravia. Geralmente quem coloca textos em e-mails não é do ramo e não está nem aí para o autor. Foi assim que recebi o texto abaixo. No entanto vi no blog da Scylla Mazzillo que ela o retirou do livro A Casa da Mãe Joana, de Reinaldo Pimenta. O Biquini Cavadão diz tratar-se de um livro delicioso de se ler, consultar ou de usar como referência em bate papos. Pimenta trata de explicar o porquê de certas expressões e palavras de nossa língua. 

O CTRL-C e CTRL-V funcionam admiravelmente, os textos que li são absolutamente idênticos. Tenho a impressão de já ter visto o assunto antes, mas como não se trata de coisa relevante, me soa como novidade. Vale como divertimento.

Na idade média, os livros eram escritos pelos copistas a mão. Precursores da taquigrafia, os copistas simplificavam o trabalho substituindo letras, palavras e nomes próprios por símbolos, sinais e abreviaturas. Não era por economia de esforço, nem para o trabalho ser mais rápido. O motivo era de ordem econômica: tinta e papel eram valiosíssimos. Então, foi assim que surgiu o til (~), para substituir uma letra (o m ou o n) que nasalizava a vogal anterior.
       
O nome espanhol Francisco, que era grafado Phrancisco, ficou com a abreviatura Phco. e Pco. Daí, foi fácil Francisco ganhar em espanhol o apelido Paco. 
       
Por sua vez, os santos, ao serem citados pelos copistas, eram identificados por algum feito significativo em suas vidas. Assim, o nome de São José aparecia seguido de Jesus Christi Pater Putativus, ou seja, o pai putativo (suposto) de Jesus Cristo.. Mais tarde os copistas passaram a adotar a abreviatura JHS PP e depois apenas PP. A pronúncia dessas letras em sequência explica porque José em espanhol tem o apelido de Pepe.
      
Já para substituir a palavra latina et (que se traduz por e), os copistas criaram o símbolo &, que é o resultado do entrelaçamento dessas duas letras. Este sinal é popularmente conhecido como e comercial e, em inglês, tem o nome de ampersand, que vem do and (e, em inglês) + per se (do latim porsi) + and.
       
Com o mesmo recurso do entrelaçamento de suas letras, os copistas criaram o símbolo @ para substituir a preposição latina ad, que, entre outros, tinha o sentido de casa de.
       
Veio a imprensa, foram-se os copistas, mas os símbolos @ e & continuaram a ser usados nos livros de contabilidade. O @ aparecia entre o número de unidades da mercadoria e o preço. Por exemplo: o registro contábil 10@£3 significava 10 unidades ao preço de 3 libras cada uma. Naquela época, o símbolo @ já ficou conhecido, em inglês, como at (a ou em).
       
No século XIX, nos portos da Catalunha (nordeste da Espanha), o comércio e a indústria procuravam imitar práticas comerciais e contábeis dos ingleses.
      
Como os espanhóis desconheciam o sentido que os ingleses atribuíam ao símbolo @ (a ou em), acharam, por engano, que o símbolo seria uma unidade de peso.
       
Para esse entendimento, contribuíram duas coincidências:
1- a unidade de peso comum para os espanhóis na época era a arroba, cujo a inicial lembra a forma do símbolo;
2- os carregamentos desembarcados vinham freqüentemente em fardos de uma arroba. 
Dessa forma, os espanhóis interpretavam aquele mesmo registro de 10@£3 assim: dez arrobas custando 3 libras cada uma.
       
Então, o símbolo @ passou a ser usado pelos espanhóis para significar arroba.
Arroba veio do árabe ar-ruba, que significa a quarta parte; a arroba (15 kg em números redondos) correspondia a ¼ de outra medida de origem árabe (quintar), o quintal ( 58,75 kg ).
       
As máquinas de escrever, na sua forma definitiva, começaram a ser comercializadas em 1874, nos Estados Unidos (Mark Twain foi o primeiro autor a apresentar seus originais datilografados). O teclado tinha o símbolo @, que sobreviveu nos teclados dos computadores.
       
Em 1972, ao desenvolver o primeiro programa de correio eletrônico (e-mail, em inglês), Roy Tomlinson aproveitou o símbolo @ (at, em inglês), disponível no teclado, e aplicou-o entre o nome do usuário e o nome do provedor.
       
Assim, Fulano@ProvedorX ficou significando: Fulano no provedor (ou na casa) X.
       
Em diversos idiomas, o símbolo @ ficou com o nome de alguma coisa parecida com sua forma. Em italiano, chiocciola  (caracol); em sueco, snabel  (tromba de elefante); em holandês, apestaart  (rabo de macaco). Em outros idiomas, tem o nome de um doce em forma circular: shtrudel, em Israel; strudel, na Áustria; pretzel, em vários países europeus.

6 comments:

3 de janeiro de 2009 13:12 Lerdo em Surtar disse...

Luiz, vou comentar a sua muito oportuna menção à questão da omissão que alguns cometem quanto à autoria. Eu gosto de brincar com a ideia (olha o Acordo Ortográfico aí, gente!)... com a ideia de citar uma tal "fonte", o que se traduz na mesma situação. Foi ótimo você ter publicado este post! Fico imaginando (leia-se: surtando) uma situação em que o autor e a fonte se confundem, como por exemplo: quando Moisés com o cajado tocou na rocha e dali surgiu uma fonte (de água, é claro!). Ele atribuiu o milagre aos Céus, mas na época os céticos tinham que optar se atribuiriam ao sobrenatural ou a um homem a autoria da proeza e qual a fonte de onde surgiu aquela fonte. Quanto ao texto em destaque, parece que os espanhóis viajaram na maionese com essa questão da arroba!

3 de janeiro de 2009 13:36 Adao Braga disse...

Quer ver coisa é quando estudamos Alta Critica e Baixa Critica. Ai é que você fica sabendo de coisas, em especial, as idéias, as omissões, as incrementações dos copistas, e tanta confusões que se faz com tais ações copistas.

4 de janeiro de 2009 08:53 vandehugo disse...

O pior é que Francisca é chamada de Paca!

4 de janeiro de 2009 16:06 burninglove-satoshi disse...

Paco Rabanne é Francisco Rabanne!... hahahah...

4 de janeiro de 2009 22:14 jazz disse...

interessantíssimo! =]

4 de janeiro de 2009 23:09 Tatiana Carlotti disse...

Luiz, Feliz 2009! Beijo grande! Tati

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário