Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

Você gosta de trabalhar?

Quase todos os dias, quase o dia todo, ouço a Rádio CBN, a rádio que toca a notícia. Costumo fazer uma alternância com a Rádio Guanabara Am Rio de Janeiro - 1360 Khz, pois toda unanimidade é burra, como dizia o dramaturgo e jornalista Nelson Rodrigues, ou ignominiosa, como desconhece a maioria. Gosto da Guanabara porque enfoca a política do jeito que gosto; não é aparelhada por nenhum governo e nenhum partido. E gosto também porque é uma emissora... vascaína. O programa da situação, Casaca no Rádio, vai ao ar às segunda-feiras, das 8 às 10 horas. O Só Dá Vasco, da oposição, é ouvido no mesmo horário, às terças-feiras.

E enquanto procurava finalizar um post começado na quinta-feira ouvi alguém na Rádio CBN discorrer sobre a etimologia da palavra tripalium. Gostei da prosopopéia, da presumida cultura inútil. E parei para dar mais atenção. Não me dando por satisfeito, fui pesquisar. Cheguei ao site Sua Língua, do Cláudio Moreno. Navegando por curiosidade li o tópico "Como se escreve? fluido ou fluído?
Extremamente didático sob diversos aspectos. Vale a pena ler. Uma leitora precisava registrar uma empresa de cosméticos feitos com essências naturais e pretendia nomeá-la "Fluidos da Natureza". Estava em dúvida quanto à grafia da palavra fluido. O professor finalizou: "Aposto meus diplomas como nove entre dez brasileiros vão pronunciar flu-í-dos mas escreva corretamente (flui-dos), sem o acento).
Não garanto você se tornar um Camões porém ficará mais "autêntico" no vernáculo, para usar uma expressão de um ex-amigo meu, pretenso intelectual.
En passant (até o Lula está usando essa expressão francesa. Como ele mesmo reconhece, e se auto-elogia, já se foi o tempo em que empregava "menas". Breve, em uma apresentação a uma primeira-dama internacional ele dirá: "enchanté, madame"), mas repetindo, en passant, leia meu post O amor é uma flor roxa, onde rimo descuido com fluido.

E o tripalium? Era um instrumento romano de tortura, uma espécie de tripé formado por três estacas cravadas no chão, onde eram supliciados os escravos. E tripalium virou trabalho. E apesar da comemoração internacional do Dia do Trabalho e do uso de frases como "o trabalho dignifica o homem", nunca se perdeu de vista o destino de Adão expulso do Paraíso, que é "comer o pão com o suor do próprio rosto". Para alguns, trabalho sempre terá a conotação de castigo. Muito propriamente uma amiga usa o termo tronco designando seu trabalho.
Do francês "travail" os ingleses importaram "travel" que designava um esforço penoso e cansativo, uma tortura enfim, mas que hoje é apenas uma "viagem".
Leia o Sua Língua e saiba que no referente a trabalho antigamente "chorava todo mundo mas agora ninguém chora mais". Jorge Benjor

3 comments:

26 de abril de 2008 15:34 Lerdo em Surtar disse...

O conceito de "trabalho" que não provoca desconforto em mim é o da Física (ciência exata que tem anteparo maternal na Matemática).
Mas, por sorte, existem conotações mais amenas para "trabalho".
Exemplo: para nós, jovens tiozões, xavecar uma mina é um bom trabalho que pode resultar em prazer (ainda que seja o de escutar uma resposta lisonjeira).

27 de abril de 2008 22:09 Adao Braga disse...

Quanto a etimologia das palavras eu gostava do "A palavra é..." que era parte integrante de No Mínimo, porém não sei para onde se mudaram.

29 de abril de 2008 12:53 Paloma Bianchi disse...

Eu adoro meu trabalho mas gostaria de não ser obrigada a exercê-lo sempre. Tem dias que simplesmente não dá!
Preferia viver de renda ou ser uma herdeira. Detesto obrigações...

Aliás que coincidência as flores muguet serem oferecidas justamente nesse dia!

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário