Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

O mestre budista e o pequeno gafanhoto


Ainda sobre o estúpido índice de aprovação do governo Lula ou, sobre a aprovação do seu governo por estúpidos, escolham a opção correta

A coisa mais certa do mundo é ajudar a quem a si próprio ajuda. Lula não se ajuda. Abandona a coxia e vem à beira do palco conclamar os petistas a não terem vergonha de serem petistas, a usarem a estrela vermelha no peito com a mesma sem-cerimônia com que ele, o presidente, planta estrelas vermelhas nos jardins do Palácio da Alvorada e da Granja do Torto, por orientação de dona Marisa Letícia.

Eram os Deuses Astronautas? é um livro instigante. Usando como referência as pirâmides egípcias, as quilométricas linhas de Nazca e os misteriosos moais da Ilha de Páscoa o suiço Erich von Däniken sugere que extraterrestres foram os autores dessas ocorrências. Eles eram também considerados divindades pelos antigos povos.

Seriam os petistas, ladrões? Essa é uma questão mais difícil de se chegar a um consenso. Existe o célebre mensalão, que fez grande estrago moral entre as hostes petistas, mas do mesmo modo que alguns autores defendem que o Holocausto Judeu jamais existiu, muita gente "isenta" jura com a mão sobre a bíblia que o mensalão nunca existiu.

Há brincalhões, gente de espírito galhofeiro, que dizem que a bandalheira geral que estourou feito pipoca nesse governo é apenas o resultado de investigações sérias "nunca antes neste país" feitas por governo algum. Eu até concordo, mas, e os resultados das investigações? Nunca vi ninguém ser punido. Lula diz que há a presunção da inocência até que se prove a culpa de qualquer cidadão. A mãe Dilma repete patéticamente - "Primeiro inocente, depois culpado"! Que é isso, ministra? Que ato falho é esse? A senhora tem tanta certeza de que eles são culpados? Por que não, "inocente, depois inocente"?

O próprio governo não se aprova, por que iria eu aprová-lo? A não ser que meus sentidos já estivessem embotados e eu não me importasse mais de que exista tanta gente metendo a mão nos cofres; gente da própria família do presidente.

Vejam como sou, coloquei o título O mestre budista e o pequeno gafanhoto e me perco na minha própria verborragia. Mas ninguém perde por esperar. Sobre o monge budista até já falei. Falta o jovem e sorridente gafanhoto. Aguardem.

2 comments:

14 de setembro de 2008 15:45 Adao Braga disse...

- Eu duvido da quantidade de mortos no holocausto.
- Eu não duvido da existência do mensalão;
- A mídia judaica conseguiu impor a idéia da existência e da extensão do Holocausto.
- O PT tem conseguido também impor a idéia de que o mensalão não existiu.

A diferença é que um não existiu da forma que foi imposta, o outro sim!

14 de setembro de 2008 17:00 Lerdo em Surtar disse...

Sem palavras encontro-me, do tanto com que você disse tudo! Refugio-me em um acróstico.
.......
L_ailo,
Ú_nica
C_lareza
I_nequívoca.
D_everas
O_rgulho-me!

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário