Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

Um post original, ou apenas um balaio de gatos?

O Americano Tranquilo, romance de Graham Greene, que li aos 20 anos de idade, apresenta uma técnica de narração muito usada no cinema - a narrativa começa pelo meio da história, no capítulo seguinte vai ao início. É como se dividíssemos o livro exatamente em duas partes e lêssemos os capítulos alternadamente. O último capítulo do primeiro livro nos revela os porquês da sequência que já havíamos lido no primeiro capítulo do segundo livro.

Certa vez tentei aplicar esse método para apressar o estudo de um idioma. Hipoteticamente dividi o livro em três partes e estudava as lições, em paralelo. Ao contrário do livro de Graham Greene, não deu muito certo.

Eu tenho dois "projetos" para o meu blog. Eu coloquei a palavra entre aspas porque ela está sendo muito usada e abusada, e eu acho que a palavra, abusada, perde o sentido, tornando-se corriqueira. É o caso da palavra "super". Não existe mais o muito bem, só o super bem. Virou uma gíria, uma palavra da moda. E eu sou muito encrenqueiro, dispenso as palavras da moda, não bato tambor na tribo, tenho meus meios de expressão... tradicionais. Há quem ache que o super já perdeu as forças, não mais traduz com fidelidade suas emoções e esse pessoal já está migrando para o híper bem.

Minha cabeça é muito louca, eu não consigo pensar numa coisa só. Alterno fatos, datas e tenho a tendência de seguir trilhas que me ocorrem ao longo do processo de escrever. Se bem que certos detalhes sirvam para ilustrar o todo, eu temo cair na prolixidade de um Marcel Proust, aquele do "Em Busca do Tempo Perdido", ao invés de ter a objetividade de um Carlos Drummond de Andrade, "Havia uma pedra no meio do caminho. E agora, José"?

Já estou no quinto parágrafo e não falei o que queria, e antes que isso se transforme em um balaio de gatos e o leitor perca o interesse, vamos ao assunto.
Hoje organizei, braçalmente, minha coluna Mais Lidos da Semana. Os leitores que vêm aqui por pesquisa às vezes fazem entrar nessa lista posts antigos, alguns até interessantes e que foram publicados no tempo em que meus leitores cabiam na palma da mão. Já republiquei três posts antigos, mas eles eram do blog desativado SEU LALO. Pretendo fazer uma republicação sistemática nos moldes do Túnel do Tempo, do by Osc@r Luiz.
Que ninguém me chame de plagiador. Republiquei a Última flor do Lácio aos 10 de abril de 2007 e eu ainda não conhecia o Oscar. Só não posso chamar de Túnel do Tempo, aí já é demaisss.

Certo dia, quando publiquei o post "Você sabe como capturar porcos selvagens?", observei ter conseguido 173 páginas vistas, número que perdurou por longo tempo, e isso sem motivo aparente. Descobri então que um blogueiro havia colocado na sidebar um link que ficou lá por duas ou três semanas. Ele por sua vez me disse que estava sendo linkado pelo Noblat. O mar transbordou e correram alguns filetes de água para os riachos. Recentemente fui linkado pelo site Super Vasco (sniff, sniff! - onomatopéia de chororô). Eles gostaram de um post meu e publicaram uma notícia a respeito. Fui para 746 pages view. Mas a coisa já esfriou e acordei para a realidade. Mas que levei um susto, levei!

Ter um link é bom, do jeito que for - escondido, em javascript, em formato de slide, no rodapé; melhor é tê-lo na sidebar direcionado a um post e acompanhado de um breve fragmento do texto. Esta é a novidade que estou aprontando para os meus amigos, tudo de coração, sem segundas intenções, hehehe. Basta ser meu amigo e ter um pouco de paciência. Não esperem muito de mim, não corram para o Google Analytics. Sou apenas um riozinho que nem sabe se chegará ao mar.

8 comments:

29 de setembro de 2008 18:20 GUILHERME PIÃO disse...

É isto ai, melhorando e devagar se vai longe.
Abraços

29 de setembro de 2008 21:31 Tatiana Carlotti disse...

Luiz, estou olhando o guia no ig da nova revisão ortográfica, dá para baixar, pesca lá depois. Vai dar uma confusão dos diabos esse negócio... beijo! Tati

29 de setembro de 2008 22:00 Lerdo em Surtar disse...

E o reino da boa leitura é semelhante a um homem que semeia concretas letras virtuais, caindo algumas no Google.
E ele pressente que elas caem em terreno fértil, o crescente fértil.

30 de setembro de 2008 00:37 Magui disse...

Fazer parte de grandes blogs deve ser ótimo.Eu nem riozinho sou.Uma bica, talvez!

30 de setembro de 2008 08:17 Luiz Lailo disse...

Guilherme Pião,
Já dizia Tom Jobim em uma de suas canções - "É impossível ser feliz sozinho".

Tatiana,
Aqui será tranquilo; os irmãos d'além mar é que sofrerão um pouquinho.

Magui,
Você está sendo modesta. Na verdade você é uma das vertentes de uma bela comunidade da qual o Lerdo em Surtar é um assíduo e eficiente colaborador. Mas ele não quer criar um blog. Acho que ele pertence a alguma sociedade secreta, algo como a Hector Hereeye Foundation, do Mago Rayol, digo, Mago Heitor Coelho.

30 de setembro de 2008 09:59 Olívia Carromeu disse...

Luiz,

Isso ai, vamos melhorando com as tecnologias, mas olha, isso é com vocês. Eu só entendo de postar, de fazer links, etc e tal não é comigo.

30 de setembro de 2008 12:24 Bárbara disse...

Olá, depois passa no meu blog, tem algo para o Sr. lá!

30 de setembro de 2008 16:08 Carlos Emerson Jr. disse...

Se a tecnologia está dando sopa por aí, por que não utilizá-la, não é mesmo ? E quanto aos rios, seu destino é sempre chegar ao mar, não importa o quanto longo ou sinuoso seja o caminho...(palavras do Mago Heitor Coelho!).
Um abração.

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário