Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

Como vencer um debate

Alguém poderá dizer que neste artigo respingam as bobagens do artigo anterior. Pode ser...

Sub-título: Como vencer um debate, uma discussão ou um debate-bôca ou, se não vencer, pelo menos deixar o contendor pendurado na broxa

A primeira questão é saber se você é uma pessoa que possui argumentos; a segunda, saber se você acredita em suas convicções ou se não tem convicção nenhuma; a terceira, saber se você não é um inocente útil, um maria-vai-com-as-outras ou um mal intencionado de carteirinha. Para qualquer dessas três hipóteses o roteiro é o mesmo.

Você já assistiu a debates na televisão, já viu como os mestres da enganação procedem? Nunca responda ao que lhe foi perguntado. Inicie um outro papo, de preferência a dois quilômetros de distância. Se o outro reclamar faça ouvidos de mercador, continue no seu "diálogo" particular.
E se o seu oponente aplicar essa técnica em cima de você; se ele lhe quiser jogar essa bola nas costas? Se você reclamar vai perder pontos frente à audiência. O bom cabrito não berra. Não dê parte de fraco. Dê seu jeito. O normal é que esse módulo termine empatado dependendo de quem jogue mais merda no ventilador.

Você é bom de números? Descarregue os seus à vontade. Podem ser quantitativos quando se referir aos novos empregos conseguidos por você ou pela pessoa a quem você defende, podem ser percentuais quando se referir à redução da pobreza ou coisa que tal. Ninguém pode rebater números, aqueles números dos quais só você sabe a fonte. Cite aí UNESCO, ONU, IBGE, IPEA, invente siglas aleatoriamente.

Se você for atacado, dispare sua metralhadora. Você não vai conseguir se defender. O melhor método é acusar os outros, a gestão anterior. Contundentemente. Não se esqueça - faça ouvidos de mercador, o objetivo é desqualificar a outra parte.

As motivações que me levaram a escrever este artigo passam longe de partidos. Não estamos aqui dizendo que tal ou qual partido adota estas práticas. Se você quiser inferir alguma coisa é problema seu, não dou respaldo. Só digo que na guerra vale tudo. Tem alguns que até xingam a mãe. Não disse o Lula que o Brizola, para chegar à Presidência da República, seria capaz de pisar no pescoço da mãe? E a mãezinha do Brizola já havia morrido...

3 comments:

19 de novembro de 2007 13:47 Ricardo Rayol disse...

gostei da aula, vou ver como adapto para o mundo empresarial.

19 de novembro de 2007 16:13 Luiz Lailo disse...

De qualquer modo, esqueça a parte que fala em jogar merda no ventilador. No mundo empresarial não vai pegar bem.

20 de novembro de 2007 11:37 Antino disse...

Vou tentar aplicar na faculdade, nas discussões sobre ética talvez dê certo!

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário