Lugar_RSI

AvatarLugar do Real, do Simbólico e do Imaginário
Aqui não se fala dos conceitos de Lacan e a palavra lugar deve ser pensada em sua definição matemática

Há gozadores no jogo de damas

Emanuel Lasker, jogador de xadrez e matemático alemão foi campeão mundial de 1894 a 1921, sendo que ficou dez anos sem colocar o título em jogo. Um dos motivos foi a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). À sua época havia um grande fanfarrão, Sawielly G. Tartakover, que dizia abertamente: - "No próximo ano o novo campeão mundial comerá Lasker vivo".
E quem será esse novo campeão? lhe perguntaram.
- Eu, naturalmente..., respondeu.
Pobre Tartakover, nunca chegou onde pretendia. Mas tirava onda...

Deixo aqui um pequeno bônus para quem gosta de jogar xadrez: uma partida disputada em 1924, em Nova Iorque, entre o genial cubano Jose Raul Capablanca e o nosso gozador Tartakover. O link abre um tabuleiro onde os lances se sucedem, ao nosso comando. Adivinhem quem perdeu... Clicar aqui.

Hoje fui numa das comunidades de que faço parte no Orkut: JOGO DE DAMAS, e vi o anúncio de uma comunidade nova: Lélio Sarcedo, penta campeão de damas em 64 e 100 casas. Sabem, me baixou o espírito do Tartakover e eu pensei: sorte do Lélio que eu já me aposentei das damas. Pura brincadeira, nem o conheço, mas deve ser um fio desencapado.

E passemos ao relato de alguns poucos damistas gozadores, Poucos para que o leitor não se enfade. Também omitirei nomes, para evitar ferir suscetibilidades.

Seu Júlio era um sujeito bonachão. Parecia o Groucho Marx, no charuto e no bigode, não tão espesso como o do artista americano. Era bom damista. Certa vez o chamaram para uma partida. Como tinha que resolver um problema na fábrica ao lado, onde trabalhava, sempre com a sua cara de gozador, propôs ao adversário um final de duas pedras contra duas pedras, problema clássico das damas e demorou um tempo considerável.
Quando voltou foi perguntando: - Resolveu o problema?
- Tá difícil, respondeu o outro.
- Puxa, se você não sabe jogar sozinho com duas pedras, como quer jogar comigo com doze?

O seu Gomes também era bom damista. Frequentava uma barbearia em Nilópolis e lá não havia quem ganhasse dele. Foi quando apareceu o "Gaudêncio", disposto a acabar com o reinado do Gomes. Imaginem a cena de um "saloon" de filme de faroeste: entra o caubói tilintando as esporas, cigarro na boca retorcida e pergunta:
- "Onde está o Gomes? Vim enfrentá-lo. Vou acabar com sua banca."
Disseram-lhe: - O seu Gomes ainda não chegou. Mas não deve demorar. Vai jogando aí com o seu Manoel...
Seu Manoel estava sentado sozinho frente ao tabuleiro, de cabeça baixa, silencioso, estudando os lances de uma partida. O "Gaudêncio" sentou-se. Jogaram. Resultado: 3 a zero para o seu Manoel. Mas que Manoel que nada. Era o próprio Gomes.
- E aí, seu Gomes, que achou do menino? perguntou-lhe o barbeiro.
- Meio fraco. Mas serve pra limpar os tabuleiros...

2 comments:

27 de novembro de 2007 18:18 Ly disse...

Eu não entendo nada sobre xadrez..conheci o campeão de xadrez do mercosul ano passado....mas minhas experiências com os jogadores não foram lá tão boas.....

como dizem:

"terminada a partida o rei e o peão vão para a mesma caixa"

O que vale é a diversão

bjs

27 de novembro de 2007 21:08 Ricardo Rayol disse...

ahahaha genial, não sabia desse mundo damista.

Postar um comentário

Qualquer mensagem não relacionada à postagem deverá ser colocada no Quadro de Recados e, de preferência, não contendo SPAM.
Anônimo, faça a gentileza de deixar seu nome ao final do comentário